Ansiedade 24 horas por dia, 7 dias por semana

A ansiedade tem sido nossa aliada desde os primórdios do homem sobre a Terra. Trata-se de um mecanismo que desenvolvemos para lidar com situações adversas, como um alarme que o nosso cérebro dispara em situações de perigo e que promove certas alterações psíquicas e corporais: hipervigilância, taquicardia, tensão muscular. No passado, a ansiedade nos avisou do perigo dos predadores e nos ajudou a encontrar o fogo. Hoje, ela tanto nos ajuda a preparar-nos para uma prova da faculdade como a evitar caminhos inóspitos no retorno para casa depois da balada. Algumas pessoas, no entanto, não conseguem desligar esse alarme quando o perigo deixa de existir.

Quem sofre com o Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) tem um alarme que tilinta constantemente frente a um perigo muito mais imaginário que real. É que no TAG costuma-se ter preocupações excessivas em diversos aspectos da vida: as finanças, as contas a pagar, a sua saúde e a dos familiares, a segurança dos entes queridos, etc. Os indivíduos com esse transtorno tendem a fazer projeções bastante catastróficas em relação ao futuro (uma eterna fonte de perigos à espreita). Crêem que serão demitidos, que serão abandonados pelos seus parceiros, que não terão dinheiro para pagar as contas ou quitar as prestações, que os filhos serão assaltados ou que vai acontecer algum acidente com eles ao pegar o carro para sair com os amigos. Enfim, pode-se dizer que uma desgraça está sempre iminente, que o porvir é como uma espada de Dâmocles afiada pairando sobre a sua cabeça.

Quando alguém está bastante preocupado com alguma coisa, é costume que se diga que isso está me tirando o sono, e o contrário, que isso não me tira o sono, para dizer que determinado tema não o preocupa. Pois é de se esperar que no TAG a insônia, especialmente a inicial (a pessoa demora muito para pegar no sono) seja um sintoma comum a todos os casos. Ao deitar-se na cama para dormir, o que vem à mente não é calmaria e a placidez do sono, mas os eventos transcorridos ao longo do dia que se acaba e as atribulações do dia que se avizinha.

As repercussões físicas e mentais desse transtorno também se assomam. Costuma-se sofrer com dores de cabeça, dores musculares, dificuldades de concentração, esquecimentos, etc. Nem preciso mencionar os consultórios de gastroenterologistas repletos de pacientes com gastrite ou úlcera nervosa.

Amiúde, é a insônia ou o mal-estar físico que leva a pessoa a procurar tratamento, sem se dar conta que sofre de um transtorno ansioso que pode ser tratado. É que a maior parte das pessoas com TAG convive com o excesso de ansiedade há tanto tempo que entende que a preocupação excessiva e a expectativa apreensiva do futuro é na verdade o seu jeito de ser, algo que nasceu consigo e que não pode ser mudado, apenas (se possível) tolerado.

Ah, se elas soubessem que há formas de se desligar esse alarme cerebral e como o tratamento (remédios e terapia) pode mudar a sua vida…

 

(Visited 60 times, 1 visits today)

10 Comments

  1. wendy l 31 de março de 2015 at 08:00

    Depois de ter um Pai psiquiatra que sempre teve crises e nos agrediu fisicamente, crises estas que ocorrem quando ele bebe e a bebida é um hábito que ele não está nem um pouco disposto a abandonar. Depois de ter perdida a minha irmã mais velha por suicídio há pouco mais de 1 mês devido a uma psicose que ela desenvolveu , que nem meu percebeu visto que ela era uma veterinária bem sucedida e em ascenção na carreira. Depois de ter convído na infância com a grave esquizofrenia do meu tio, com 6 suicídios na família, 2 deles recentes e por moças jovens, eu desenvolvi um transtorno de ansiedade. Acredito que foi a coisa mais amena que eu poderia ter desenvolvido perto de tudo que presenciei .

  2. wendy l 31 de março de 2015 at 08:11

    Além disso, dr, eu não respondo bem aos antidepressivos que o psiquiatra me passou. Passei tão mal com os efeitos colaterais que tive que abandonar o tratamento. Hoje recorro a terapias alternativas mas sinto os impactos da ansiedade no meu cotidiano.
    Sei que são muitas às histórias de sofrimento de pacientes, mas de certa forma me considero com uma história especial. Gostaria de saber maneiras de otimizar minha vida para ajudar minha família pois tenho 1 irmão toxicomaniaco e outro em uma grave depressão que o faz ficar recluso em seu quarto a 5 anos. Quero ajudar a mim mesma antes, para cuidar da minha família, tenho uma filha de 4 anos e meu esposo é ex dependente químico e tem sequelas ainda, já que fica agressivo e quebra os móveis da casa.

  3. wendy l 31 de março de 2015 at 08:18

    Me sinto sozinha nesse mar de problemas. Acredito que meu pai precisa ser interditado já que tb tem falado de suicídio. Mas como ele é psiquiatra em cidade pequena e desfruta de certo prestígio ninguém tem coragem de fazer isso. O problema que ele agrediu ontem minha avó idosa. Minha mãe por depender dele financeiramente não consegue separar se dele. Ela tem uma dependência psicológicas financeira grande. Preciso de ajuda. Como interditar um psiquiatra?

  4. Simony 8 de abril de 2015 at 14:35

    Eu fui diagnostica com TAG já faz alguns meses e não procurei tratamento. Falta de coragem mesmo… mas deveria procurar tem dias que eu quase enlouquece, mas sempre volto ao “normal”.

    1. Dr. Deyvis Rocha 8 de abril de 2015 at 22:02

      Olá, n

      Não é só com medicamentos que se trata o TAG. Quem sabe, na próxima vez em que estiver “quase enlouquecendo”, você procure ajuda.

      Abraços

  5. wendy l 9 de abril de 2015 at 11:01

    Dr gostaria de pedir por gentileza para apagar este depoimento que dei anteriormente, pois um profissional da minha cidade viu e falou com minha mãe que estou publicando os prproblemas da família na internet. Vou continuar com o auxílio da psicoterapia e continuar tentando amenizar a ansiedade e quem sabe tentar mudar a medicação até achar uma que sirva . Entendo porque não me respondeu, os conselhos que pedi não são a proposta do site ajudar a solucionar. Grata.

  6. wendy l 17 de abril de 2015 at 19:07

    Ah que ótimo! Vim aqui dar os parabéns ao site pela prática da carniçagem . Pelo jeito, tenho “sorte” com profissionais éticos. O depoimento que dei aqui já correu minha cidade inteira e meu pai postou ele pra mim hoje, que respondi abruptamente , embora eu não tivesse mentido em nada e o desabafo foi sincero. Vim pedir um conselho e arrumei mais um problema, minha vida “maravilhosa” exposta na internet. Se eu não tivesse bagagem teórica até acreditria que foi um descuido do site, ou me culparia por te sido ingênua achando que meu depoimento ia ficar em sigilo . Mas, acredito que entendo um pouco de como as coisas funcionam . Agora mais ainda. Entrei nesse site que, pela aparência e maneira como são escritos os textos, cri ser um lugar bacana para aprender algo sobre os problemas que assolam minha família , mas a única coisa que aprendo é como a etica e o respeito pelo outro estão sendo cada dia mais pevertidos em detrimento da necessidade de profissionais angariarem seguidores. Que lastimável!

  7. Bruna 1 de novembro de 2015 at 14:04

    Olá Dr. Fui diagnosticada com Tag e no começo sentia muitas tonturas sudorese taquicardia e queda de pressão achava que ia morrer. Hoje tomo exodus 20 mg e frontal 0.25 mg apesar de controlar os sintomas sinto tontura persistente o dia inteiro sempre tô cansada e fico muito em casa pois tenho medo de cair e sinto indisposição. Não sei o que fazer apesar de fazer tratamento com psiquiatra só queria voltar a trabalhar novamente e ter minha vida de volta. Como posso superar essas tonturas

  8. Ansiedade 18 de novembro de 2015 at 13:22

    Pior é ver a quantia de tratamentos, que vão dos formais aos alternativos, e mesmo assim muitos se entregam para esse mal sem ao menos tentar. É desolador para um familiar ver alguém com depressão, ansiedade aguda ou síndrome do pânico, que não quer nem mesmo superar o problema, como se ele fosse seu destino único e inexorável.

  9. Daiana 3 de março de 2016 at 18:12

    I’m only getting an ansewring machine At what point was there roast beef? All I saw was sexual activities. This sucked I wanted to see a nicely cooked roast beef.