Drogas

As drogas estão cada vez mais presentes em nossas vidas. Drogas lícitas (álcool) e ilícitas (maconha, cocaína). É fácil observar a preponderância do tema na mídia. Seja o debate em torno da legalização do uso da maconha, seja nas tragédias de trânsito envolvendo pessoas alcoolizadas ao volante.  Chama  atenção também como pessoas famosas são atingidas pelo uso de substâncias.  Recentemente, tivemos a morte da inglesa Amy Winehouse, antes Kurt Cobain, Jimi Hendrix, e tantos outros. Entre nós, Elis Regina foi uma artista levada ainda jovem demais pelas drogas.

O mundo dos esportes também é afetado. Dois ídolos Corintianos dos anos 80, Casagrande e Sócrates, sofrem as consequências físicas e familiares do abuso de álcool e outras substâncias ilícitas.

As drogas estão disseminadas em todas as classes sociais e parece que por mais que seja de conhecimento geral que elas causam mal, as pessoas continuam experimentando, e aquilo que começa como uma opção, uma curiosidade, torna-se uma prisão, tira a sua liberdade. Por isso creio que é impossível que possamos ter uma cidade, um país, um mundo sem drogas. Elas simplesmente existem há incontáveis eras. ‘sabido que logo após o Dilúvio, Noé tomou o primeiro porre do qual se tem registro na História, depois de beber o vinho das uvas que ele próprio plantou.

A doença mental está fortemente associada ao uso de drogas. O seu uso pode atingir níveis de dependência, que é uma doença, quando a coisa mais importante para o usuário passa a ser continuar usando a droga, não importa a que custo. Família, trabalho, estudo, tudo vai para o segundo plano. O uso de substâncias também pode levar ao surgimento de outras doenças mentais. Algumas, como a demência alcoólica, necessitam de uso intenso e prolongado de álcool, mas um surto psicótico pode romper após o primeiro dia de uso de maconha. O uso de substâncias tende a complicar  o tratamento de qualquer doença mental, como a depressão, a esquizofrenia. Geralmente, os pacientes que têm um trastorno mental e abusam de drogas são mais resistentes ao tratamento, têm menor adesão às propostas terapêuticas e cometem mais suicídio

Internação compulsória é o melhor caminho para o tratamento? A maconha deve ser legalizada? São questões que encontram os seus defensores e detratores. É importante que as autoridades se mobilizem e a sociedade discuta. Argumentos científicos e sociais estão aí para enriquecer o debate.

Como psiquiatra, entrei em contato com muitos pacientes cujas vidas foram destroçadas pelas drogas, seja pelo desenvolvimento da dependência e de suas consequências, seja pelo desencadeamento de um transtorno psicótico grave, como a esquizofrenia. Sou favorável à maior restrição do uso de substâncias lícitas e ilícitas, em especial para os mais jovens.

(Visited 12 times, 1 visits today)