Estará Carlinhos Cachoeira Deprimido?

“Ele anda deprimido, tá tomando vários medicamentos agora, tá sendo consultado uma vez por semana por psiquiatra, ele não tá bem psicologicamente”.

Essa frase foi dita pela Sra. Andressa Mendonça em entrevista ao programa Fantástico, da Rede Globo, no dia 01/07/12. Ela está se referindo ao marido, o Sr. Carlos Augusto de Almeida Ramos, popularmente conhecido como Carlinhos Cachoeira, o “contraventor”, como a imprensa o tem chamado, ou o homem por trás de uma rede de corrupção multipartidária em Brasília.

Pois bem, vamos analisar o que está por trás desta frase pronunciada pela bela e vaidosa Sra. Cachoeira.

Ele tá deprimido.

Pode ser, realmente não tenho como sabê-lo. Convém que nós, psiquiatras, só demos diagnósticos para aqueles com quem conversamos e avaliamos pessoalmente. Até imagino que o Sr. Cachoeira possa estar realmente deprimido. Não estou dizendo que ele está com depressão, isto é, a doença depressão, o transtorno mental. Mas, deprimido, isso sim é perfeitamente compreensível. O Sr. Cachoeira se encontra atrás das grades, desde 29 de fevereiro deste ano e atualmente pode ser encontrado no presídio da Papuda, em Brasília. Não me resta dúvida, no entanto, que o seu ambiente atual é bem diferente do qual ele estava acostumado, com todos os confortos, viagens, regalias e circulação que o dinheiro lhe permitia. Além disso, parece-me que já está execrado pela opinião pública, ainda que seja incerto por quanto tempo permanecerá vendo o sol nascer quadrado. O transtorno depressivo frequentemente vem seguido de algum acontecimento estressante na vida de alguém e imagino que ao menos “estressante” é uma palavra que podemos usar para descrever o atual estado psicológico do Sr. Cachoeira. Eu me questiono se ele também está sofrendo de falta de vontade e de interesse por todas as coisas as quais ele costumava gostar, se só o que quer é ficar na cama, se ele está tendo dificuldades de concentração, se não sente vontade de se alimentar, se tem sentido insônia, ou, pelo contrário, se está dormindo demais, se ele está se sentindo inútil, sem valor, se se sente cansado, esgotado, e até mesmo se cogita tentar o suicídio. A partir de tais informações é que podemos começar a fazer um diagnóstico de depressão. Lembro aqui que estar deprimido ou triste não é o mesmo que estar com depressão.

Ele tá tomando vários medicamentos agora.

Será que ela se refere a medicamentos psiquiátricos? Se sim, é importante verificar a qualidade do atendimento que lhe está sendo prestado. Se alguém tem depressão e está realizando tratamento com um psiquiatra, este vai prescrever um antidepressivo. A boa prática médica deve ser prescrever uma medicação em monoterapia, isto é, uma medicação e apenas uma. Tudo bem, às vezes, quando, junto à depressão, o paciente tem um quadro ansioso importante ou está sofrendo de insônia, nós lhe prescrevemos um tranquilizante juntamente ao antidepressivo. Será que foi isso o que a Sra. Cachoeira quis dizer quando disse que o seu marido está tomando várias medicações? Se não for assim, acho melhor o Sr. Cachoeira pedir uma segunda opinião médica.

Tá sendo consultado uma vez por semana por psiquiatra.

Em geral, os psiquiatras clínicos atendem os pacientes que estão no início do acompanhamento de maneira mais frequente, podendo até ser uma vez por semana, pois o objetivo é estabelecer o diagnóstico e verificar a resposta aguda ao tratamento. À medida que os pacientes vão respondendo ao tratamento, as consultas podem ser espaçadas. No tratamento psicoterápico, aí sim são mais comuns as consultas semanais. Muitos psiquiatras também são psicoterapeutas, mas as consultas semanais, nesse caso, não indicam que o paciente está psiquiatricamente mais ou menos grave.

Ele não tá bem psicologicamente.

Redundância, pois o fato de alguém estar passando por um psiquiatra já pressupõe que a pessoa não está se sentindo muito bem do ponto de vista psíquico.

Talvez a repetição da ideia esteja aí para reforçar a gravidade do quadro mental do Sr. Cachoeira, ao menos parece-me ser isso o que a Sra. Cachoeira quer transmitir em rede nacional.

Tem sido hábito nos casos dos senhores do poder como Sr. Cachoeira e, antes dele, o ex-governador do DF José Roberto Arruda, que após serem presos por maracutaias diversas, os seus advogados e familiares apregoem que eles estão sofrendo de transtornos mentais como depressão, talvez numa tentativa de compadecer o público e de mostrar como são inocentes, que com eles está a se cometer uma injustiça, pois parece que se alguém desenvolve depressão quando está preso certamente é porque é inocente.

Incomoda-me profundamente como hoje em dia qualquer um pego com a mão na massa se sente à vontade para utilizar os termos psiquiátricos da maneira que bem entende para assim expiar ou até justificar o seu comportamento pouco ético.

Autor- Psiquiatra Deyvis Rocha

(Visited 2 times, 1 visits today)