Matador Norueguês Tem Esquizofrenia

De acordo com a imprensa, o laudo dos dois psiquiatras encarregados de fazer uma avaliação do estado mental do matador norueguês Anders Behring Breivik, que assassinou 77 pessoas em seu país em julho deste ano, revela que ele estava psicótico, isto é, agia sob a influência de delírios e, provavelmente, alucinações, o que indica que ele sofra de esquizofrenia paranoide. Desta forma, Breivik não pode responder pelos seus atos.

Isso quer dizer que todo o seu ódio ao Islã, ao multiculturalismo europeu, era fruto de um estado patológico. Provavelmente, sentia que a sua vida estava sendo ameaçada e o seu massacre foi para ele um ato de defesa. Por não estar agindo com o domínio da razão, por não ter sido um ato livre, mas sob o julgo de um quadro patológico, ele não pode ir para trás das grades.

Com isso, o destino do assassino confesso é um hospital de custódia para pacientes psiquiátricos que cometem crimes, onde deve permanecer por tempo indefinido, talvez até pelo resto da vida.Enfim, os colegas psiquiatras, os Drs. Synne Serheim e Torgeir Husby, tiveram 13 encontros com Breivik e creio que, se chegaram a este diagnóstico de esquizofrenia paranoide, deve ser este mesmo o problema.

Este laudo psiquiátrico deve aumentar ainda mais o preconceito contra os portadores de doença mental, pois penso que a maioria das pessoas vai fazer a associação de que todo o paciente com esquizofrenia é violento, é capaz de cometer um massacre. Vai mais um obstáculo na luta contra o estigma da doença.

O que resta dizer é que se este diagnóstico fosse feito antes, se, quem sabe, os seus pais o tivessem levado a um psiquiatra aos atrás, Breivik teria sido tratado e provavelmente a vida de dezenas de pessoas inocentes seria poupada.

(Visited 4 times, 1 visits today)