Tristeza, depressão e estresse

As pessoas estão preparadas para a tristeza? Afinal de contas, o sucesso do homem entre as demais espécies, os avanços tecnológicos que nos permitem ter uma vida com mais conforto e longa, a historicamente recente luta pelo respeito às diferenças de sexo, de crença, de origem e o anseio por direitos iguais não deveria estar associado ao supremo bem-estar de sentirmo-nos bem, alegres, felizes mesmo? Não, o que ocorre é o contrário, parece que o que temos é o aumento de pessoas se sentindo tristes, deprimidas, o aumentos dos casos de depressão. A depressão, já não é surpresa, é a condição clínica que mais prejudica a qualidade de vida dos brasileiros.

O avanço da humanidade não foi acompanhado por todos. Há um imenso Brasil que não tem acesso aos bens que nos proporcionam uma vida mais confortável, há um imenso Brasil que é miserável, por isso mesmo o foco de ações sociais da nova presidente. Mas a vida dos que não têm que se preocupar com o que comer não está por isso mais saudável. A vida moderna nos traz a competição das cidades grandes, a exigência do sucesso, o trabalho excessivo e o pouco salário, a dificuldade de mobilidade urbana, que faz você demorar horas para se deslocar de um ponto a outro dentro de uma cidade como São Paulo. Além disso, há uma sensação de insegurança que perpassa todas as camadas sociais, que nos faz inseguros mesmo ao cruzarmos as ruas em pleno dia. E tudo isso faz com que uma palavra seja bastante empregada por todas as camadas da sociedade e que acredito que os nossos avós ou bisavós pouco utilizavam: estresse.

O surgimento de tantos casos de depressão (se alguém ainda não teve depressão certamente conhece alguém que já a teve) está diretamente relacionado ao estresse do dia a dia. Não é à toa que a maior parte dos casos se dá na zona urbana. O estresse vai modular fatores internos de cada um e alguém que tenha a predisposição genética vai desenvolver a depressão. Há pessoas que carregam consigo essa predisposição, herdada de fatores genéticos que ninguém pode mudar, mas que talvez nunca tivessem esses fatores genéticos realmente expressos se não fosse por um trauma ou um estresse muito grande.

Como prevenir então o aparecimento da depressão? Para algumas não têm jeito, os fatores genéticos vão fazer com que ela apareça mesmo sem estresse algum. Mas saber qual é o limite de estresse que cada um pode suportar é um grande começo para uma vida, sem dúvida, mais saudável.

(Visited 21 times, 1 visits today)