Vencendo a Esquizofrenia

Jorge Cândido de Assis é uma pessoa que vale a pena conhecer e aqui, neste pequeno filme, vocês vão entender porque eu o afirmo com segurança, e mais: ele é exemplo e inspiração para muitas pessoas que sofrem com uma doença crônica e, muitas vezes, limitativa, qualquer que seja ela. Salve, Jorge!

Comments

  1. maria auxiliadora marques da silva

    Bom dia

    Fiquei feliz pelo depoimento de vida do Jorge. E por existir essa terapia de grupo.
    Meu filho tem 28 anos e tem esquizofrenia (usou drogas e bebida) desde os 16 anos; minha luta é árdua para ajudá-lo, mas não foi o suficiente e não sei bem em que momento a esquizofrenia se manifestou; digo assim porque, tendo temperamento forte, sendo forte fisicamente e muito agressivo comigo que sou a figura principal para ele manifestar todo o descontentamento de seu viver, nesses anos, tenho que me afastar (só vivemos juntos nós dois) e ficar foragida dele. Todavia deixo-o em casa e sou eu quem sai, e de longe não o perco de vista. Mas ele foi só decaindo nesses anos e no ano de 2012 não tive outra alternativa senão interná-lo: a internação seria para tratamento de drogas mas o psiquiatra percebeu os sintomas de esquizofrenia e internou-o no Hospital Psiquiátrico Francisca Júlia, em SJCampos-SP, onde moramos, por 60 dias.
    Todavia ele não aceita a medicação e retornamos a estaca zero.
    No período em que ele vai às reuniões de Narcóticos Anônimos e toma a medicação posso ficar com ele e até temos uma certa paz; mas quando não, ele tem surto e novamente eu tenho que sair de casa; e assim foram os anos 2013 e piorado demais em 2014. A única coisa que ele faz é ira psicóloga, que eu pago para ele ter uma pessoa com conversar pelo menos uma vez por semana, mas não ajuda em nada nas crises dele porque ele está surtado continuamente desde setembro de 2014, e eu fora de casa de novo desde 31/12/2014. Ele manifesta no face dele todo o transtorno que está vivendo. Quando eu me afasto é quando ele está tendo dificuldade demais de separar a minha pessoa da dos “bichos”, “diabo” “das ordens” etc; é para segurança dele não cometer uma tragédia, pois a minha vida mesmo, desde que ele começou com as drogas, furtos em casa, quebradeira, destruição da casa, carro etc,, já não tem sentido.
    Trato de depressão desde 2005 e luto para ter coragem de continuar.
    Fiquei feliz com seu testemunho e gostaria de saber: o endereço do grupo e se eu conseguir que o psiquiatra receite o Palmitato de Paliperidona injetável, substituiria o Quetiapina e Depakene que meu filho insiste em não tomar porque acha que não precisa?
    Muito Obrigada pela força e esperança que tive ao ver e ouvir o seu relato.
    Maria Auxiliadora.

    • Dr. Deyvis Rocha

      Olá, Maria Auxiliadora,

      Que bom que pudemos renovar-lhe um pouco das esperanças.
      Você pode encontrar mais informações sobre a Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Esquizofrenia no site http://www.abrebrasil.org.br
      Creio que o palmitato de paliperidona pode ser uma boa indicação para o seu filho. Ainda é um remédio caro, e não está disponível nas farmácias de alto custo. Mas, entendo que seria uma tentativa muito válida.

      Boa sorte,
      Deyvis

  2. lucélia

    Maria sei bem o que passa tenho um filho de 24 anos,internado a 8 meses,tomando mais de 20 comprimidos ao dia,e continua delirante.

    também usou drogas por 10 anos,depois que parou de usar em fevereiro entrou em depressão,e quadros pisicóticos,que tambem fez com que meu esposo e eu saissemos de casa,ficamos vigiando de longe por 1 mes,até conseguirmos,interna-lo com ordem judicial,pois ele não se aceita doente,ele ta numa clinica ótima,atende pelo sus e particular,mas não é caro,se te interessar chama HJ clinica pisiquiatrica,em União da Vitória PR.
    Deus é conosco nessa luta!

Raul Tavares